Autores

Cor Gamboa Marques
Cor Silva Vitória

Agradecimentos

Estrutura Meios Operacionais Armamento Armamento da Guarda Fiscal no século XX
Armamento da Guarda Fiscal no século XX

Exército

O armamento continuou a evoluir de acordo com a tecnologia que já se fazia sentir e que depois foi fortemente influenciada pelos dois conflitos mundiais ocorridos na primeira metade do século vinte e também pela guerra colonial que teve o seu início nos anos sessenta.
No que respeita ao armamento ligeiro adquirido pelo Exército – espingardas - as principais alterações foram as seguintes:
Em 1894 foram adquiridas carabinas Mannlicher de 6,5 mm, também produzida pela Steyr, em quantidade reduzida, e foi nomeada uma comissão para escolha da arma sucessora da Kropaschek .
A escolha recaiu na Mauser M 98, construída pela firma alemã DWM, que em Portugal passou a ser designada por espingarda Mauser 6,5 mm, m/904 e conhecida em todo o mundo por Mauser-Vergueiro por ter sido nela aplicada uma culatra desenhada pelo capitão de infantaria Alberto José Vergueiro, o que melhorou a sua capacidade. Uma parte foi transformada para calibre de 7,92 mm na Fábrica de Braço de Prata, em 1939.
espingarda Mauser 6,5 mm m/1904 - espingarda Mauser 7,92mm. m/1904-39
 
Em 1917, em França, o Corpo Expedicionário Português recebeu armamento e equipamento semelhante ao do exército Britânico em cujo sector se integrou. A espingarda Lee Enfield de calibre 7,7 mm substituiu as Mauser 6,5 mm que equipavam o restante Exército português.
Quando do regresso, no fim do conflito, acompanharam os militares Portugueses e passaram a fazer parte do armamento do exército.
espingarda Lee Enfield de calibre 7,7 mm
Em 1937 começaram a ser adquiridas mais espingardas na firma Alemã DWM que tinha fabricado as Mauser m/904, desta vez de calibre de 7,92 mm, que só foram substituídas em 1961 pelas G3. Foi-lhe atribuida a designação oficiial de espingarda Mauser 7,92mm. m/1937.
espingarda Mauser 7,92mm m/1937
 
As espingardas M/961 G3A1 foram adquiridas em 1961 e ainda não foram substituídas.  
espingarda G3A1 m/1963
 
 
Quanto a pistolas e a seguir aos revóveres Abadie, as aquisições mais importantes feitas pelo Exército foram as seguintes:
 
Em 1908 chegaram a Portugal Lugger Parabellum de 7,65 mm iguais às que equipavam o exército alemão.
Em 1915, nos EUA e na Savage Arms Company foram adquiridas pistolas de calibre 7,65 mm da marca Savage que foram atribuídas aos oficiais e sargentos que seguiram para França em 1917. Quando do regresso do CEP, estas armas foram distribuidas às forças de segurança e aos guardas nocturnos.
Em 1943 o Exército recebeu pistolas 9mm Lugger Parabellum P08 do exército alemão.
A última grande aquisição de pistolas teve lugar em 1961, à firma Carl Walther Waffenfabrik, da P38 de 9mm Parabellum.

pistola Savage 7,65 mm m/1915 pistola 9mm Lugger Parabellum P08pistola Walther 9 mm m/1961

 

Quanto a pistolas metralhadoras o exército adquiriu a Steyr de 9mm em 1942.

pistola-metralhadora Steyr 9mm m/1942

Guarda Fiscal

A arma que substituiu a Kropatschek foi a Mauser-Vergueiro de 6,5 mm m/1904, posteriormente transformada, em 1939, para calibre 7,92
No entanto em 1931, ainda existiam ao serviço as Kropatschek de 6,5 mm de 1886 e 1891, para além das Mauser 6,5 mm, m/1904.
Posteriormente foi dotada com a espingarda Mauser 7,92 m/1937 que se manteve até ao fornecimento das espingardas automáticas G3.


Quanto às pistolas, os revólveres Abadie de 1886 mantiveram em serviço até 1955 e 1956, quando foram adquiridas 800 pistolas Walther de calibre 7,65 e 2.200 pistolas Star do mesmo calibre.

pistola Walther 7,65 mm m/1955 pistola Star 7,65mm m/1955

Após o regresso do CEP as pistolas Savage m/915 foram distribuídas pelas forças de segurança e guardas nocturnos. O número destas armas que chegaram à Guarda Fiscal não influenciou o armamento disponível.
Em 1955 os Abadie de 1878, para oficiais, já tinham sido substituídos por 180 pistolas Mauser entretanto adquiridas.

Em 1957, com a finalidade de uniformizar o calibre das armas da GF com as do Exército foram adquiridas 1850 pistolas STAR cal. 9mm. Posteriormente foram ainda adquiridas Pistolas Walther cal.9mm m/961.

pistola Star 9 mm m/1957 pistola Mauser 7,63 mm

Em 1955 e 1956 foram adquiridas 150 pistolas-metralhadoras Madsen de calibre 9 mm.. Posteriormente foram ainda adquiridas pistolas-metralhadoras Steyr m/1942 também do mesmo calibre e já existentes no Exército.

pistola-metralhadora Madsen 9mm m/1955

 pistola-metralhadora Steyr 9mm m/1942